Colunistas ver todos
Título da matéria
Um Lugar pra Vivenciar...
A Costa Franca – berçário natural da baleia Franca – vai do rio Maciambú - onde se colhe o alimento – à Itapirubá – morro das pedras rolantes.
Foi aqui que o homem do Sambaqui – morro de conchas, há mais de 8 mil anos escolheu como seu habitat natural, rico em alimento e clima agradável. Nos costões sua arte rupestre conta um pouco deste período. Sucedidos naturalmente pelos Mbya guarani que desciam os Andes em busca da costa atlântica, até a chegada dos primeiros navegantes europeus.
É neste ambiente que vislumbra a Yvy Marã - a terra sem mal, cultuada até hoje na religiosidade das tribos locais. Também cruza por aqui a trilha indígena do Peabirú, que conectava a costa atlântica a costa do Pacífico, cruzando o império Inca. Caminho este que mais tarde foi rebatizado Caminho do Rei, usado até hoje pelos moradores da região. A ocupação estrangeira da ilha de Santa Catarina e da costa continental expulsou boa parte dos Mbya Guarani da região.
Começamos no Porto dos Patos, batizado pelo navegador espanhol Juan Solis, em 1516, devido a grande quantidade de aves que habitavam o lugar, onde por séculos abasteceu aldeias numerosas com abundância de alimentos oferecidos nas matas, rios, lagoas e no oceano.
Foi aqui que o colonizador europeu fez o contato com nativos da nação Guarani, ocupantes deste litoral há séculos, denominada pelo rei de Portugal D. João III - Capitania de Sant´Ana - costa meridional, que se estendeu de Cananéia - São Paulo ao extremo sul do Brasil. Após tumultuado relacionamento o colonizador foi pouco a pouco se fixando e fazendo desta costa sua casa. Aproveitaram as técnicas locais para facilitar sua permanência no Novo Mundo - Lugar idealizado pelo europeu. A Construção das fortalezas e a colonização açoriana, a partir de 1740, sob o comando do sargento-mor José Dias Paes, deram condições para formação dos primeiros povoados. A instalação das Armações Baleeiras de 1750 a 1800, verdadeiras fábricas à beira mar, consolidou as Freguesias e Vilas. Os imigrantes desbravaram a mata e navegaram rios e lagoas nas Cano-a - embarcação indígena. Ocuparam a terra com a Mani-óca - mandioca e do mar extraíram a Ta-ia - peixe de água salgada, conhecido por Tainha. Esta receita Guarani deu condições ao crescimento populacional na costa Franca até pouco tempo atrás. A vida simples e integrada do açoriano favoreceu na preservação deste pedacinho da costa catarinense - ...do Sonho a Itapirubá... onde ainda se pode notar a relação homem/natureza. Foi a partir da década de 70 que essas pequenas vilas foram descobertas pelos turistas, na época hippies e por um número cada vez maior de veranistas, atraídos pela beleza natural e pelo jeito tranqüilo do povo caiçara - Carijó/açoriano.
"O Lugar certo pra se Vivenciar"
Publicidade:
Publicidade
Imagem Daqui Solução Gráfica & Divulgação
Rua Pref. João Orestes de Araújo, 550 - Sala 04
Centro - Garopaba - Santa Catarina
Fone: (48) 3254-6860 / 9937-3057
E-mail: contato@imagemdaqui.com.br
Desenvolvido por
Mateus Fornari