Colunistas ver todos
Título da matéria

MADE IN CHINA

02/01/2012, às 15:38:44 - por quaresma - Fonte: MADE IN CHINA
Fonte: Charges do Benett - Fonte Google

Como estou focado no MERCADO DA BOLA para ver se as indicações de J.J.SALDANHA estão sendo aproveitadas, podendo adiantar que nove indicações já fecharam contratos com seus novos clubes, o que será objeto de matéria futura, me deparei com a notícia de que o Corinthians contratou um jogador chinês de nome CHEN ZHIZHAO. (quem souber como se pronuncia me avise)

Mas o que me impressionou foi o motivo da contratação do jogador asiático, a contratação se deu, segundo os noticiários, não pelo bom futebol apresentado pelo jogador de 23 anos que atuava no Nanchang F.C., mas sim na necesidade de divulgar a marca do "bando de loucos" no país, que diga-se de passagem não falta consumidor.

Outro fator curioso, é que o timão com está contratação atingi o número de 11 atacantes em seu elenco. Será que tem vaga para o chinês no ataque?

O atacante chinês o qual nunca vi jogar, portanto sem condições de fazer comentário a este respeito, joga futebol em um país, o qual o grande atacante do momento é o nosso OBINA, é ele mesmo que o leitor está pensando, o atacante que é melhor que o ETTO, segundo a torcida do Flamengo.

Levando em consideração que o jogador chinês tem como estrela em seu país o Obina no ataque, esperamos que o mesmo seja um bom vendedor dos produtos corinthianos em sua terra natal, como Cristiano Ronaldo, Kaká, Neymar Jr. etc..., pois em relação ao seu bom futebol, vou ser taxativo como São Thomé, "SOMENTE ACREDITO VENDO".

Continuando as expressões biblícas, "quem viver verá", se CHEN ZHIZHAO joga mesmo, ou é produto "pirata" do mercado chinês.

Já tivemos um MADE IN JAPAN no Brasil, o famoso KAZU, que humildemente disse que veio ao Brasil para apreender, e posteriormente servir a seleção de seu país, o que de fato aconteceu. Jogou em vários clubes brasileiros como Santos, Palmeiras e Coritiba, sendo o primeiro jogador a japonês a jogar no Brasil, de volta ao Japão, Kazu virou Rei.

Assim, vamos esperar o nosso MADE IN CHINA jogar, para ver se vai render mais no Brasil dando títulos ao Corinthians ou se vai render mais na China vendendo os produtos corinthianos na Ásia e região.

Se grandes clubes já contrataram jogadores como David Beckham, para dar mais visibilidade e vender camisas, fotos, etc..., por quê o coringão não pode fazer o caminho inverso?

Se o objetivo é este eu apoio, mas se o intuito é reforçar o time, ainda não estou apto para opinar, pois nunca o vi jogar.

Um abraço a todos e até amanhã se Deus quiser.

PS - Para ler as matérias antigas, basta clicar em cima do tabuleiro de xadrez.

RODAPÉ - "Formado na universidade de Shizuoka, sua cidade natal, Kazu deixou o Japão em 1982 para fazer testes nas categorias de base do Juventus, profissionalizando-se aos 18 anos, em 1986 - antes, firmara um contrato amador com o Moleque Travesso.

No Santos, Kazu se tornaria o primeiro japonês a jogar no Brasil, sendo cedido ao Palmeiras - quando o Verdão fazia uma turnê de amistosos no Japão - e ao Matsubara, ambos no mesmo ano de 1986.

Em 1987, continuava ganhando as manchetes ao ser o primeiro jogador asiático a defender um clube nordestino, neste caso o CRB de Alagoas. Passaria também por XV de Jaú e Coritiba, sendo que no clube paulista marcou seu primeiro gol como profissional, e no paranaense conquistou seu primeiro título, o estadual de 1989 ao lado de Osvaldo, Carlos Alberto Dias, Serginho, Tostão e Chicão, além do técnico Edu Coimbra.

De volta ao Santos em 1990, encerraria o ciclo no Brasil no mesmo ano, e regressou ao Japão para defender o Yomiuri (atual Tokyo Verdy), que pouco tempo depois se tornaria Verdy Kawasaki.

Atuaria também por Genoa, Croatia Zagreb, Kyoto Purple Sanga e Vissel Kobe até 2005, quando, aos 38 anos de idade, foi contratado pelo Yokohama FC. No final deste ano, foi emprestado ao Sydney FC da Austrália para a disputa do Mundial de Clubes.

[editar] Seleção Japonesa

Kazu estreou pela Seleção Japonesa em 1990, disputando três partidas naquele ano. Seu primeiro gol foi marcado em 1992, contra a Coreia do Norte. O primeiro título dele com os Samurais foi a Copa da Ásia de 1992.

Kazu esteve a um passo de disputar a Copa de 1994, e a vaga era considerada certa por todos os japoneses - o meia-atacante chegou a marcar 16 gols, 14 somente pelas Eliminatórias - seus companheiros seguravam o 2 a 1 até o final do jogo contra o Iraque, quando Jaffar Salman marcou o gol que decretou a eliminação japonesa.

Para vingar a eliminação em 1993, Kazu e seus companheiros decidiram não bobearem. O meia-atacante marcou oito gols contra Macau e dois contra o Nepal.

A convocação de Kazu era tida como certa pelos japoneses, mas o técnico Takeshi Okada inexplicavelmente excluiu o ídolo da lista final de convocados, preferindo convocar o jovem Shinji Ono. Sua exclusão causou espanto e revolta entre os fãs.

Aos 33 anos, Kazu retornou à Seleção para realizar sua despedida internacional. E ele não passou em branco: marcou um gol contra Brunei e outro contra a Jamaica, tornando-se, assim, o maior artilheiro da história da Seleção Japonesa, com 56 gols - um a mais que Kunishige Kamamoto, destaque do país nos anos 60 e 70." (Fonte Wikipédia)

Comentários
Publicidade:
Publicidade
Imagem Daqui Solução Gráfica & Divulgação
Rua Pref. João Orestes de Araújo, 550 - Sala 04
Centro - Garopaba - Santa Catarina
Fone: (48) 3254-6860 / 9937-3057
E-mail: contato@imagemdaqui.com.br
Desenvolvido por
Mateus Fornari