Ótica Luna
21:51 Domingo, 20 de maio de 2018
  • Dia do comissário de menores
Colunistas ver todos
Título da matéria

O que faz um psicólogo?

16/01/2012, às 18:05:54 - por Jóici Jordão Psicóloga - Fonte:
Fonte:

Com o intuito de darmos continuidade ao nosso bate-papo, quero falar aqui um pouco do que faz um psicólogo. Você, querido leitor, já se perguntou isso?

O psicólogo é um profissional com formação em curso superior de psicologia, inscrito no Conselho Regional de Psicologia da sua região.

De acordo com o Conselho Federal de Psicologia (1992), o psicólogo “Aplica conhecimento teórico e técnico da psicologia, com o objetivo de identificar e intervir nos fatores determinantes das ações e dos sujeitos, em sua história pessoal, familiar e social, vinculando-as também a condições políticas, históricas e culturais”.

Ainda conforme o mesmo autor, “O psicólogo desempenha suas funções e tarefas profissionais individualmente e em equipes multiprofissionais, em instituições privadas ou públicas, em organizações sociais formais ou informais, atuando em: hospitais, ambulatórios, centros e postos de saúde, consultórios, creches, escolas, associações comunitárias, empresas, sindicatos, fundações, varas da criança e do adolescente, varas de família, sistema penitenciário, associações profissionais e/ou esportivas, clinicas especializadas, psicotécnicos, núcleos rurais e nas demais áreas”.

Assim verifica-se que os contextos de trabalho dos psicólogos são bastante diversificados. Aliado a isso, temos dentro da Psicologia o campo de atuação profissional e a abordagem teórica que cada profissional escolhe ao se identificar com tal, para exercer suas atividades.

O campo de atuação profissional é caracterizado por um conjunto de atividades com o objetivo de conseguir uma intervenção imediata e abrangente na realidade. Os diversos campos de atuação utilizam áreas de conhecimento das mais variadas formas.

Dentro da psicologia encontramos: Psicologia Clínica; Psicologia Organizacional; Psicologia Escolar e Educacional; Psicologia da Saúde e Hospitalar; Psicologia do Esporte; Psicologia Jurídica; Psicologia do Trânsito; Psicologia da Saúde do Trabalhador; Comportamento do Consumidor (área de marketing); Orientação Profissional e de Carreira; Psicologia Social; Psicotécnicos, entre outras.

Além disso, há também, as abordagens teóricas que orientam e embasam a sua forma de atuação. Cada abordagem em psicologia apresenta diferentes visões de homem, teorias e procedimentos terapêuticos. A saber: Psicanálise; Psicologia Analítica ou Junguiana; Psicologia Cognitiva; Psicologia Comportamental; Psicologia Cognitivo-Comportamental; Psicologia Sistêmica, Psicodrama; Gestalt-Terapia; Psicologia Corporal – Reichiana, Bioenergética; Psicologia Evolucionista; Psicologia Ambiental; Psicologia Existencialista; Abordagem Centrada na Pessoa, entre outras.

Portanto, é possível verificar que a psicologia desenvolve uma prática diversificada e bem ampla. Com isso oferece benefícios tanto ao indivíduo como aos grupos e as instituições.

Comentários
Nivaldo de Abreu Garopaba Centro - SC - 31/01/2012 às 22:50:11
Jóici, tenho um curiosidade: Participei de cursos, treinamentos, onde o apresentador em casos especiais, praticava uma espécie de hipnose em voluntários, levando-os a regressão de idade, até o útero materno. A psicologia [Psiquiatra] utiliza esse artifício em tratamento de pacientes, fazendo também a regressão até esses etágio de vida e tambem de vidas anteriores,etc...etc ou nem Freud explica tal procedimento? Parabéns pelo tema descrito!!!
Jóici Jordão - Psicóloga Garopaba - SC - 19/02/2012 às 15:57:17
Olá Nivaldo! Obrigada por comentar e por questionar também! Respondendo sua questão:

A hipnose não é uma profissão e sim uma técnica que tem como principal intuito ser uma ferramenta para que o cliente atinja um estado ampliado de consciência e assim possa identificar as causas de seus insucessos e problemas através de insights e revivências (vivências do passado). Ela não é reconhecida como uma ciência ou uma profissão.
A técnica em si não tem como objetivo diagnosticar doenças, desvios psicológico ou de dar subsídios para a prescrição de qualquer medicamento. A hipnose não cura ninguém, a técnica pode proporcionar à pessoa que dela participa conhecer as origens de seus sentimentos e insatisfações.
Sigmund Freud (médico neurologista e fundador da psicanálise) foi aluno de Jean-Martin Charcot (médico da escola de Salpetriére – França), famoso neurologista da época. Com ele Freud estudou os efeitos da hipnose em pacientes histéricos.
Freud aplicou a hipnose no começo de sua carreira como forma de tratamento para a histeria. Com o tempo Freud percebeu que nem todas as pessoas eram suscetíveis a hipnose e mudou sua forma de trabalhar. Ele criou seu método terapêutico no qual adaptou e sintetizou de forma nova as ideias e técnicas da época. Por meio da análise do discurso de seus pacientes fazia interpretações da vida psíquica e buscava o significado oculto daquilo que era dito através de palavras (inconsciente), sonhos, delírios, associações livres e atos falhos.
Regressão é um retorno às lembranças do passado, a pessoa passa a realmente viver as emoções. Regressa à memória (por meio da hipnose) e não em vidas passadas. Vidas passadas é de outra ordem, a da crença religiosa ou mística e não uma ciência, assim como é a Psicologia.
Publicidade:
Publicidade
Imagem Daqui Solução Gráfica & Divulgação
Rua Pref. João Orestes de Araújo, 550 - Sala 04
Centro - Garopaba - Santa Catarina
Fone: (48) 3254-6860 / 9937-3057
E-mail: contato@imagemdaqui.com.br
Desenvolvido por
Mateus Fornari