Colunistas ver todos
Título da matéria

SC cresce menos do que o país pela oitava vez em 10 anos

16/02/2012, às 10:15:43 - por Fala Garopaba - Fonte: DC
Fonte: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

Crescimento do Estado foi de 2% em 2011, contra 2,7% do país, aponta pesquisa do Itaú Unibanco.

O Produto Interno Bruto (PIB) catarinense cresceu 2% em 2011, segundo projeção divulgada pelo Itaú Unibanco. O avanço da economia local foi menor do que o nacional pela oitava vez em 10 anos e deve permanecer assim em 2012.

Pela estimativa do maior banco privado do país, o Brasil encerrou o ano passado com crescimento de 2,7%, abaixo da expectiva do governo, que fala em 3,2% — o IBGE divulga o resultado oficial em março.

Santa Catarina também teve o pior desempenho do ano em comparação aos outros nove estados e à região Nordeste analisados no estudo. Pesaram bastante as medidas tomadas pelo Banco Central para desacelerar o consumo no ano passado, especialmente o ciclo de alta da taxa básica de juros (Selic) antes da inversão da tendência, em setembro. Outro fator importante foi a crise na Europa que afetou as exportações.

Como a alta da Selic demora de seis a nove meses para provocar efeito, a economia catarinense pisou mais forte no quarto trimestre do ano passado. No trimestre anterior, a expansão foi de 1,5%, índice bastante positivo, segundo o economista do Itaú Aurélio Bicalho.

A indústria foi bastante afetada em 2011, o que se refletiu na queda de 5,1% da produção industrial. Nos últimos três meses de 2011, o recuo foi expressivo nos setores de alimentos, máquinas e equipamentos.

— O Paraná desacelerou, mas manteve uma taxa de crescimento elevada. O oposto disto ocorreu em SC, com a retração da indústria, principalmente da produção têxtil. O Rio Grande do Sul ficou perto do meio do caminho — explica Bicalho.

O ritmo menor nos últimos 10 anos se explica em parte pelo fato de SC não ser um Estado exportador de de matérias-primas (commodities). Um estudo da Associação de Comércio Exterior do Brasil revelou que, de 2000 a 2011, a compra de commodities brasileiras cresceu 716,5% no mercado internacional, impulsionada pela voracidade chinesa.

O resultado do varejo catarinense não foi suficiente para compensar o desempenho ruim da indústria. O setor que apresentou crescimento próximo a 4% no terceiro trimestre, o maior do país, caiu quase a zero no final do ano. A geração de emprego com carteira assinada, crescente em todas as regiões brasileiras, ficou próxima de 1% no período.

Para o economista Carlos Honorato, da Fundação Instituto de Administração (FIA), a indústria de SC, grande exportadora de produtos manufaturados, sofre mais com a falta de competitividade internacional. A perspectiva de crescimento do PIB do Brasil para 2012 é de 3,5%, desempenho puxado, principalmente, pelo consumo interno.

— A expansão do mercado doméstico no segundo semestre dará alguma sustentação para a economia catarinense — conclui Bicalho.

Comentários
Publicidade:
Publicidade
Imagem Daqui Solução Gráfica & Divulgação
Rua Pref. João Orestes de Araújo, 550 - Sala 04
Centro - Garopaba - Santa Catarina
Fone: (48) 3254-6860 / 9937-3057
E-mail: contato@imagemdaqui.com.br
Desenvolvido por
Mateus Fornari