Ótica Luna
13:52 Sexta-feira, 14 de dezembro de 2018
  • Dia do Ministério Público
  • Dia do Engenheiro de Pesca
Colunistas ver todos
Título da matéria

"LOCO ABREU É DE GAROPABA! SERÁ?

28/02/2012, às 15:33:41 - por quaresma - Fonte: "LOCO ABREU É DE GAROPABA! SERÁ?
Fonte: Loco Abreu e Furlan na Copa do Mundo de 2010 - Fonte Google

Caro Leitor, você sabe quem é Washington Abreu? E Washington Sebastián Abreu Gallo? Também não? Vou então lhes apresentar.

Para quem até então não sabia, Washington Sebastián Abreu Gallo é o nosso "Loco Abreu" atacante do Botafogo do Rio de Janeiro.

Desde que "Loco Abreu" chegou ao Botafogo, fiquei intrigado com este sobrenome Abreu. Como todos nós sabemos, Abreu é um sobrenome pouco comum para as pessoas que são de origem uruguaia.

Como existe em Garopaba uma família tradicional e muito grande de sobrenome Abreu, no Bairro Ambrósio, resolvi dar uma de "repórter investigativo amador" para saber se "Loco Abreu" tinha alguma coisa a ver com Garopaba e com está maravilhosa família, que inclusive já teve um representante como Prefeito Municipal, Sr. Adílio Abreu há anos atrás.

Hoje o comando do Poder Executivo é exercido por outro membro da família Abreu, o nosso querido e atual Prefeito Luiz Nestor.

Comecei minha investigação de forma tímida para não criar expectativas. Resolvi então começar pelos bares da cidade, mais precisamente pelo “Bar do Toninho” onde vários “Abreus” vão assistir aos jogos de futebol.

Conversando com um aqui e outro lá, nada foi esclarecido, alguns diziam que eram pequeno na época, outros diziam que não se lembravam de nenhum fato neste sentido, etc..pois “Loco Abreu” nasceu em 1976 e já havia se passado muitos anos.

Resolvi então fazer minhas pesquisas de campo na Av. Dos Pescadores,onde os causos de Garopaba não são esquecidos. Pensei em falar com o "Mouriço" entre outros.

Sentei-me no bar “Água na Boca” do nosso amigo “Gilsinho”, o melhor “pé-sujo” da cidade com uma vista impar, quando sem ao menos esperar, fui abordado por uma fonte (que luxo hein, pois como sabemos repórter tem fontes e não fofoqueiros) que me pediu para não revelar a sua identidade ante a delicadeza dos fatos.

- É você que quer saber se “Loco Abreu” ´é de Garopaba? Respondi que sim.

- Me paga umas cervejas que te conto toda a história. Aceitei prontamente.

- O negócio é o seguinte, como você sabe nos anos 70 muita gente vinha acampar em Garopaba, inclusive uruguaios, que armavam suas barracas na Praia da Vigia, conhecida na época como “Morro do Fumaçê”.

Um dia durante verão do início dos anos 70, entrou uma chuva muito forte, seguida de um Nordeste sem igual, que destruiu todas as barracas que estavam acampadas no local.

O nosso ex-Prefeito “Seu Adílio Abreu”, vendo aquelas pessoas sem abrigo, convidou um casal de uruguaios para ficar em sua casa no Ambrósio.

O casal se hospedou na casa da família e dias depois foram embora.

Passaram-se alguns anos quando um belo dia apareceu na casa do Seu Adílio Abreu um casal de uruguaios com um rapaz de uns dez anos, com uma estatura enorme.

Perguntaram ao ex-Prefeito se conseguiria se lembrar deles. Sr. Adílio muito humildemente pediu desculpas, respondendo que como era um homem público e ajudava muita gente, não estava se lembrando daquele casal.

Os uruguaios então lhe disseram quem eram eles, tendo o Sr. Adílio se lembrado imediatamente. Disseram que vieram novamente a Garopaba para mostrar ao filho como era a cidade e apresentar-lhe a pessoa que os havia socorrido durante a tempestade de verão.

Foi quando veio uma surpresa inesperada anunciada pelo casal de uruguaios. Como o Senhor e sua família foram muito generosos conosco, resolvemos fazer uma homenagem, colocando no nome de “Loquito Abreu” (naquele tempo ainda era este o apelido do craque uruguaio), o sobrenome Abreu.

A alegria contagiou a todos, foi uma festa. Durante a tarde como “Loquito Abreu” gostava de jogar bola desde pequeno, resolveram levá-lo ao campo do Vera Cruz, para bater uma bolinha.

No meio da partida, surgiu em pênalti. “Loquito Abreu” imediatamente se apresentou para bater, desde aquele tempo que o “Loco” gostava de bater a penalidade máxima. Mas infelizmente como no jogo contra o Flamengo recentemente, o craque uruguaio perdeu o pênalti.

Vardinho, Adilinho e Carlinhos que assistiam a brincadeira do jovem jogador imediatamente sentenciaram, “este garoto não sabe bater pênalti, ele não bate na cara da bola”.

Novamente anos se passaram, e, apesar da constatação de que o craque não batia na “cara da bola”, o jogador fez e faz muito sucesso pelo mundo afora e no nosso Glorioso, bem como na seleção de seu país.

Perguntei então a minha fonte se aquela conversa não era somente para eu pagar a conta. A fonte se sentiu ofendido e respondeu.

- Quaresma basta ver que o “loco Abreu” adquiriu dupla-nacionalidade, somente pode ter sido pelo fato de ter está aproximação com o Brasil.

Quem sabe o craque do Botafogo não nasceu em Garopaba e foi para o Uruguai recém-nascido, exclamou minha fonte.

Indaguei que não era este o motivo da dupla-cidadania e sim para ajudar o Botafogo na contratação de estrangeiros.

Minha fonte sigilosa se enfureceu, virou as costas saindo do bar do “Gilsinho” resmungando sem que eu entendesse uma palavra sequer, mas jurando que toda a sua “estória” era verdadeira.

Nobre leitor se é verdade ou não eu não sei, mas gostaria de informar que minha fonte é um pescador.

Um abraço a todos e até amanhã se Deus quiser.

Para ler as colunas anteriores, basta clicar em cima do tabuleiro de xadrez.

RODAPÉ - Washington Sebastián Abreu Gallo, mais conhecido como El Loco Abreu (Minas, 17 de outubro de 1976), é um futebolista uruguaio que atua como atacante. Atualmente joga pelo Botafogo. Em janeiro de 2012 adquiriu dupla-nacionalidade, (brasileira), para que pudesse ajudar o Botafogo a fazer mais contratações de jogadores estrangeiros.

Início da Carreira

Começou no Defensor, do Uruguai, na temporada 1994/95, onde conquistou a Liguilla Pré-Libertadores, competição disputada no Uruguai ao fim de cada temporada, visando determinar os classificados para os torneios sul-americanos. Na temporada seguinte Abreu transferiu-se para o San Lorenzo, da Argentina, onde obteve atuações que chamaram a atenção do La Coruña, da Espanha que o trouxe para jogar por empréstimo.

[editar] Sequência de empréstimos pela América

No clube espanhol não conseguiu os mesmos resultados e foi emprestado para diversos clubes ao longo do seu contrato na Espanha. Em 1998 Abreu teve sua primeira passagem pelo Brasil, defendendo o Grêmio, por onde teve atuação discreta. Na temporada 1999/2000 foi para o México defender o Tecos. Após grandes atuações repletas de gols, voltou para a Argentina, a fim de mais uma vez defender o San Lorenzo, em 2000.

Após o fim do empréstimo de um ano, El Loco Abreu foi repassado para o Nacional do Uruguai, seu clube de coração. Para a temporada 2002/2003, o La Coruña (ainda detentor de seu passe) o emprestou para o Cruz Azul também do México, onde iria atingir uma de suas melhores médias de gol de toda a carreira. No inicio de 2003 foi a vez de defender o América do México, desta vez sem grande êxito.

[editar] Sucesso pelo continente e mais passagens pela Europa

Com o contrato finalizado e não-renovado com o La Coruña, Sebástian voltou para o Nacional em 2004. A volta para o México não demorou muito e o atacante acertou com o Dorados. Atuando no México, o artilheiro ainda iria defender o Monterrey em 2006 e o San Luis e o UANL Tigres em 2007. Em 2008, voltou para a Argentina, dessa vez para defender o River Plate por empréstimo. Ainda em 2008, defendeu o modesto Beitar Jerusalem, aonde disputou as eliminatórias para a UEFA Champions League, no entanto sem muito sucesso. De volta ao River Plate, El Loco não conseguiu muitas oportunidades para atuar, o que o levou a ser emprestado para o Real Sociedad em 2009, para ajudar o clube à voltar à elite do futebol espanhol. Apesar das boas atuações, o clube não conseguiu a classificação e, logo, o jogador foi atuar pelo desconhecido Aris Salônica, da Grécia.

[editar] Brasil: Loco em alta

Em 2010 foi contratado pelo Botafogo por dois anos.[1] Sua estréia, no entanto, não poderia ser pior: o Botafogo foi goleado pelo Vasco da Gama por 6 x 0 e Abreu foi substituido no intervalo. No dia 30 de janeiro de 2010, Loco Abreu fez seu primeiro gol com a camisa alvinegra no Engenhão, contra o América, de cabeça. No dia 7 de fevereiro do mesmo ano, o atacante uruguaio marcou três gols na goleada do Botafogo sobre o Resende por 5-2, sendo os três gols de cabeça.[2] Já na final da Taça Guanabara, marcou o segundo da vitória por 2 a 0 sobre o Vasco, que deu o título ao Botafogo. Marcou também o segundo gol (de pênalti) na vitória de 2 a 1 sobre o Flamengo na final da Taça Rio de 2010 de cavadinha, o que deu o título carioca por antecipação ao Botafogo e fez com que o uruguaio caísse nas graças da torcida. A mística do atacante voltou à aparecer na primeira partida do returno do Brasileirão, quando Abreu entrou no segundo tempo e marcou aos 45' do segundo tempo o belo gol da vitória do Botafogo sobre o Santos por 1-0 no Pacaembu[3].

Após encerrar o ano sem a vaga na Libertadores com o Botafogo, Loco Abreu começou bem o Campeonato Carioca, marcando gols. No entanto, logo no início da competição, o jogador escreveu uma carta em seu site pessoal aonde comentou falta de conversa fluente com o treinador Joel Santana e outros assuntos relacionados ao clube[4]. Após a polêmica ser resolvida, o craque uruguaio voltou à fazer o que mais sabe: gols. Marcou dois contra o Olaria e sacramentou a vitória do alvinegro por 3-1.[5].Já no clássico com o Fluminense, foi o centro das atenções por duas batidas de pênaltis em menos de três minutos. Seu time, Botafogo, perdia por 2x1 quando foi marcado o primeiro pênalti a favor de sua equipe. Com a personalidade que lhe é particular, Loco usa a famosa "cavadinha" na batida do pênalti, porém este é defendido pelo goleiro do Fluminense, Diego Cavalieri, que fica parado no centro do gol , já esperando esta batida. Poucos minutos mais tarde, um novo pênalti é marcado e, justificando seu apelido, Loco Abreu bate novamente usando a cavadinha, mas desta vez colocado, no canto esquerdo do goleiro, tirando qualquer chance de defesa por parte dele. Esse seria o gol de empate de sua equipe, que mais tarde viria a ganhar a partida por 3x2.

[editar] Seleção Nacional

Sebástian Abreu é constantemente convocado para a Seleção Uruguaia, pela qual já disputou diversas competições como a Copa América de 1997, Copa América de 2007 e a Copa do Mundo FIFA de 2002. Recentemente, El Loco alcançou a marca de 31 gols pela seleção uruguaia, se tornando o maior artilheiro da história da Celeste.

O uruguaio disputou a Copa do Mundo FIFA de 2010, chegando à competição como o jogador com maior número de gols marcados na carreira entre os 736 inscritos na competição. Antes do Mundial da África do Sul ele havia anotado 305 gols na carreira, três a mais que o francês Thierry Henry.[6]

Abreu foi decisivo para a vitória, nos pênaltis, contra Gana. Ele cobrou a última penalidade e marcou o gol, também de cavadinha, que garantiu o Uruguai nas semi-finais da Copa do Mundo FIFA de 2010.

Em 2011, Sebastian Abreu sagrou-se Campeão da Copa América. Apesar de ter entrado poucos minutos ao longo do torneio, teve participação decisiva por meio de seu carisma e liderança. Durante a comemoração do título, Abreu surpreendeu a todos e com um nobre gesto de carinho e gratidão, levou a Bandeira do Botafogo ao pódio, em agradecimento ao apoio irrestrito dado pela torcida do Botafogo ao Uruguai, tanto na Copa do Mundo de 2010 quanto na Copa América 2011.

[editar] Museu Pessoal

Sempre que "Loco" Abreu marca três ou mais gols em uma só partida, ele leva a bola do jogo para seu acervo em um museu pessoal no Uruguai. A última vez que o fato aconteceu foi na vitória do Botafogo sobre o Boavista por 4 a 1, no dia 29 de março de 2010, no Estádio São Januário. Além disso, o jogador também usa uma camisa personalizada por debaixo do uniforme. Na camisa, cheia de retalhos, o uruguaio homanageia o pai (usando um pedaço do uniforme que o mesmo utilizava quando jogava), a Seleção Uruguaia (com um pedaço do uniforme), seus filhos (uma foto com seus filhos Valentina e Diego), o escudo do Nacional (seu clube de coração) e o escudo do Botafogo, recentemente acrescentado à coleção supersticiosa do uruguaio.(Fonte Wikipédia)

Comentários
PauloBotafogo Garopaba - SC - 28/02/2012 às 19:26:21
Meu caro colunista. Esta sua coluna é um show de informações. Maravilha. Lendo a história de El Loco temi que fosse mais filho de Garopaba do que já é. Noite de chuva é fogo. Sugiro que mande essa coluna ao Botafogo, para que nosso herói possa ler. Um grande abraço. PB
Publicidade:
Publicidade
Imagem Daqui Solução Gráfica & Divulgação
Rua Pref. João Orestes de Araújo, 550 - Sala 04
Centro - Garopaba - Santa Catarina
Fone: (48) 3254-6860 / 9937-3057
E-mail: contato@imagemdaqui.com.br
Desenvolvido por
Mateus Fornari